Palavra do Pastor

Uma palavra sobre autoridade

O Trono De Deus Estabelecido Sobre Autoridade.
Deus age a partir do seu trono, está estabelecido sobre a sua autoridade. Todas as coisas são criadas pela autoridade de Deus e todas as leis físicas do universo são mantidas através de sua autoridade. Por isso a Bíblia diz que Deus está “sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder” o que significa que todas as coisas são mantidas pela palavra do poder de sua autoridade. Pois a autoridade divina representa o próprio Deus enquanto o seu poder se expressa apenas pelos seus atos. O pecado contra o poder é mais facilmente perdoado que o pecado contra a autoridade, porque este é um pecado contra o próprio Deus. Só Deus é autoridade em todas as coisas; toda a autoridade da terra foi instituída por Deus. A autoridade é uma coisa tremenda no universo – nada a sobrepujar. Portanto é imperativo que nós que desejamos servir a Deus conhecemos a autoridade de Deus.

Obediência à vontade de Deus – a maior das exigências da Bíblia
A maior das exigências que Deus faz ao homem não é a de carregar a cruz, servir, fazer, obras ou negar a si mesmo. A maior das exigências é que obedeça. Deus ordenou que Saul atacasse os amalequitas e os destruísse totalmente (1 Samuel 15). Mas, após a vitória Saul poupou Agague, o rei dos amalequitas, junto com o que havia de melhor entre os bois e as ovelhas, os cordeiros e animais mais gordos e todas as coisas valiosas. Saul não quis destruí-los; argumentou que os poupara para sacrificá-los a Deus. Mas Samuel lhe disse: “Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar, e o atender melhor que a gordura de carneiros” (Vs. 22). Os sacrifícios mencionados aqui eram ofertas de cheiro suave – não tendo nada a ver com o pecado, pois as ofertas pelo pecado jamais foram chamadas de oferta de cheiro suave. Eram oferecidas para a aceitação e satisfação de Deus. Porque Samuel disse que “obedecer é melhor do que sacrificar?” Porque mesmo no sacrifício pode haver o elemento da vontade própria. Só a obediência honra a Deus de maneira absoluta pois só ela coloca a vontade de Deus no centro. Para que a autoridade se expresse é preciso que haja submissão. Se é preciso que haja submissão, o ego precisa ficar excluído; mas de acordo com o ego, a submissão torna-se impossível. Isto só se torna possível quando alguém vive no Espírito. É a mais alta expressão da vontade de Deus.

A oração do Nosso Senhor no Getsêmani, exemplo de obediência
Há quem pense que a oração do Nosso Senhor no Getsêmani, quando seu suor se transformou em gotas de sangue, foi devido à fraqueza de sua carne, ao temor que tinha de beber o cálice. De modo nenhum, pois a oração no Getsêmani fundamenta-se no mesmo principio de 1 Samuel 15:22. É a oração suprema na qual nosso Senhor considerava o obedecer à autoridade de Deus mais importante do que sacrificar-se sobre a cruz. Ele ora sinceramente para conhecer a vontade de Deus. Ele não disse: “Eu quero ser crucificado, eu tenho de beber o cálice”. Simplesmente insiste em obedecer. Na realidade, diz: “se houver possibilidade de não subir à cruz”, mas ainda aqui não é a sua vontade que se destaca. Imediatamente ele continua, dizendo: “mas seja feita a tua vontade”. A vontade de Deus é absoluta; o cálice (isto é, a crucificação) não é absoluta. Se Deus preferisse que o Senhor não fosse crucificado então ele não teria de subir à cruz. Antes de conhecer a vontade de Deus, o cálice e a vontade de Deus eram duas coisas separadas; contudo, depois que tomou conhecimento que era de Deus, o cálice e a vontade de Deus se mesclaram numa só coisa. A vontade representa a autoridade. Portanto, para conhecer como alguém pode sujeitar-se à autoridade. Mas como alguém pode sujeitar-se à autoridade se não ora ou não tem desejo de conhecer a vontade de Deus?